Auto ajuda e grupos de familiares

Conjugalidade: do que estamos falando?
Conjugalidade: abuso e dependência do álcool
Detecção precoce e orientação são importantes aliados para o casal

CONJUGALIDADE ABUSO E DEPENDÊNCIA DE DROGAS – DIÁLOGO NECESSÁRIO

Conjugalidade: do que estamos falando?
A conjugalidade é a união de pessoas tanto de gênero diferentes (heterossexuais) como do mesmo gênero (homossexuais) com o objetivo de partilhar vínculos afetivos, sexuais, amorosos formando assim um casal.
Cada casal, entretanto é diverso, seja na maneira de lidar com os momentos agradáveis vivenciados juntos e com as dificuldades.
<< voltar

Conjugalidade: abuso e dependência do álcool
Dentre as dificuldades encontradas nas relações conjugais está o enfrentamento do abuso e a dependência de drogas, que são situações diferentes de um continuum onde o uso do álcool deixa de ser uma substância utilizada em ocasiões sociais e de celebração, passando a ser considerado um problema que começa a afetar as relações conjugais, sociais e profissionais trazendo sérias conseqüências tanto para o individuo, como para a família como um todo. Estudos na área de família apontam que para cada dependente de álcool três a cinco pessoas do sistema familiar estão envolvidas diretamente com o problema.


O álcool é ainda a substância psicotrópica mais consumida no mundo e também no Brasil. Dados recentes da Organização Mundial de Saúde mostraram que aproximadamente 4% da população mundial apresentam problemas com uso abusivo e dependente de bebidas alcoólicas. Estimativas de estudos brasileiros apontam índices de 12% de dependentes de álcool. Isso nos convida a reflexão de que as bebidas alcoólicas não são substâncias quaisquer e devem ser preocupação tanto da família como das políticas públicas e da legislação em relação ao se controle.
Um dos primeiros sistemas a ser prejudicado com o uso abusivo do álcool é o conjugal e ou familiar.
O perfil geral das pessoas que consomem álcool abusivamente e dependentes no nosso país são homens, na faixa etária dos 40 anos, sendo que as bebidas preferidas e mais consumidas são a cachaça e a cerveja. É possível observar que o consumo abusivo do álcool tem aumentado também entre as mulheres trazendo a estas fortes estigmas, julgamentos e preconceitos menos enfrentados pelos homens.


O abuso e dependência de bebidas alcoólicas ocorrem geralmente no ciclo vital de adultos jovens no auge da vida tanto profissional, como sexual e relacional, com suas famílias na fase da aquisição, ou seja, com crianças de até 11 anos. Assim, o consumo abusivo de álcool traz fortes impactos aos casais, desde queixas e sofrimentos do cônjuge em relação aos “vexames e brigas em público” até a violência conjugal muitas vezes ocorrida diante de filhos, causando sentimentos de vergonha, raiva, impotência e medo. Estas situações, muitas vezes, são responsáveis pela separação de casais ou ainda pela “perpetuação” ou repetição destes episódios que trazem estresse para a vida conjugal e familiar. Além disso, as crianças e os adolescentes que convivem diariamente com pais dependentes de drogas são mais suscetíveis a apresentar problemas no futuro. 
Lembre-se: Crianças e adolescentes aprendem por imitação! 
<< voltar

Detecção precoce e orientação são importantes aliados ao casal
Quanto mais cedo os casais buscam auxilio para lidar com a questão do abuso de drogas maiores sãos as chances de lidar assertivamente com o problema.
As intervenções são variáveis e podem ir desde a orientação para o casal até as psicoterapias conjugais e ou familiares.
O parceiro (a) deve ficar atento ao consumo de bebidas de seu companheiro (a), pois muitas vezes a “ocultação ou a não percepção do problema pelo cônjuge pode dificultar a busca de auxílio e orientação.
A dependência do álcool demora entre 6 a 7 anos em média para ficar evidente, entretanto muitos sinais podem ocorrer antes disso, pois uma das conseqüências importantes podem ser os prejuízos na vida ocupacional e financeira do casal com a demissão do trabalho ou mesmo a incapacitação para o mesmo. Isto acarreta a configuração do papel de parceiro como cuidador, descaracterizando as tarefas e os papeis tanto no relacionamento marital como familiar.
Desta maneira ao observar o aumento do consumo de álcool pelo seu parceira, assim como em relação  freqüência procure orientação tanto na rede de atenção primária, CAPS-CAPS-ad como nos serviços especializados na sua região, ou ainda pelo VIVAVOZ um local onde você pode receber orientação por telefone. PREVENIR É ANTECIPAR-SE!!!!
<< voltar